Tradução em andamento do livro “A Dispensational or a Covenantal Interpretation of Scripture - Which is the Truth?” por Bruce Anstey
Este livro encontra-se em processo de tradução, portanto para uma leitura mais ordenada sugiro que comece pela postagem mais antiga no Arquivo da coluna da direita.

GENESIS 37-47

“José” (ou “Zafenate-Panéia”, que significa “Salvador do mundo” cf. nota na Bíblia de J. N. Darby) é uma bem conhecida figura do Senhor Jesus Cristo. Ele foi rejeitado por seus irmãos (uma figura dos irmãos judeus do Senhor) quando foi até eles levando uma mensagem de seu pai (Gênesis 37). Como consequência dessa rejeição por seus irmãos, José foi levado para o exterior para viver entre os gentios (Gênesis 39-41). Depois de ter sido levado para o Egito (figura do mundo), houve um período de bênção naquela terra, seguido por um período de fome. O período de prosperidade representa o tempo presente da “dispensação da graça de Deus” (Ef 3:2). O período de fome representa o tempo futuro da Tribulação que virá e que se seguirá ao Dia da Graça.

Repare que enquanto José era como um desconhecido para seus irmãos (o que é típico dos judeus), ele recebia uma noiva gentia, “Azenate”, a qual lhe foi dada no tempo de abundância (Gn 41:45). Ela é uma figura da Igreja, composta predominantemente de gentios (At 15:14). Azenate foi introduzida em sua casa para compartilhar de sua posição real no trono do Egito antes que começasse o período de fome. Isso aponta para o fato de que a Igreja será levada para o lar na glória (no Arrebatamento) antes do início do tempo da Tribulação.

Quando chegou o período de fome, José se esforçou para restaurar seus irmãos a si mesmo (Gn 42-45). Do mesmo modo Cristo irá tratar com Israel (particularmente os judeus) durante o período da Tribulação para restaurá-los a Si. Estêvão declarou: “E na segunda vez foi José conhecido por seus irmãos” (At 7:13). É digno de nota que José tenha restaurado primeiro seus irmãos a si, os mesmos que lhe haviam rejeitado antes; eles são um tipo do remanescente judeu (Gn 45). José então passou a reunir a família toda a si (Gn 46). Estes são uma figura das dez tribos de Israel que serão restauradas ao Senhor após os judeus terem sido restaurados (Mt 24:30-31). José, tendo Azenate ao seu lado, reinou então sobre o Egito (que é uma figura do mundo) com todos os seus irmãos (Gn 47). Isso é uma figura da “dispensação da plenitude dos tempos” (o Milênio) quando todas as coisas ficarão sob a administração de Cristo e da Igreja (Ef 1:10). O Israel restaurado terá um lugar proeminente na terra nesse tempo (Gn 47:6) com os gentios sendo abençoados por eles (N. do T.: É Jacó quem abençoa a Faraó, não o contrário — Gn 47:7). Mais uma vez estes capítulos nos dão outra figura inegável que ilustra as maneiras dispensacionais de Deus.



Postagens populares