Tradução em andamento do livro “A Dispensational or a Covenantal Interpretation of Scripture - Which is the Truth?” por Bruce Anstey
Este livro encontra-se em processo de tradução, portanto para uma leitura mais ordenada sugiro que comece pela postagem mais antiga no Arquivo da coluna da direita.

ESBOCOS DISPENSACIONAIS NOS EVANGELHOS

Os próximos dois capítulos contêm vários esboços tirados do Novo e Antigo Testamento que confirmam a ordem dispensacional nos planos de Deus, como já foi mostrado nos dois primeiros capítulos.

Existe muito ensino simbólico nos evangelhos que confirma, amplifica e ilustra modo dispensacional de agir de Deus, conforme é ensinado pelo apóstolo Paulo. Na verdade poderíamos apontar tantos capítulos que para demonstrar isto que fica até difícil saber por onde começar. Vamos selecionar alguns.

três figuras principais que são utilizadas repetidas vezes para indicar uma mudança no modo de agir de Deus neste atual Dia da Graça em que Ele está chamando a Igreja. São elas:


  • Um mar -- Grandes volumes de água nas Escrituras simbolizam as nações gentias (Ap 17:16; Sl 65:7; Is 17:12 etc.), às quais o evangelho da graça de Deus está sendo agora enviado para tirar dentre elas um povo para o Seu nome (At 13:26; 15:14).
  • Uma mulher -- Nas Escrituras a Igreja é apresentada figuradamente como sendo do gênero feminino. Isto porque ela é vista como a noiva e esposa celestial do Cordeiro, o Senhor Jesus Cristo (2 Co 11:2; Ef 5:23-33; Ap 19:6-8; 21:9).
  • Um gentio -- Já que a Igreja é composta principalmente por gentios crentes, o Espírito de Deus usa com frequência um gentio para fazer referência à Igreja (At 15:14).

No Novo Testamento a maior parte destes elementos figurativos dispensacionais é encontrada no Evangelho de Mateus, e é bem apropriado que esta linha de ensino esteja naquele Evangelho. Os judeus -- para quem o evangelho de Mateus foi escrito -- ocupavam um lugar de favor diante de Deus, por isso precisavam entender e se preparar para a mudança dispensacional que estava chegando por a nação ter rejeitado a Cristo.

Na verdade essa rejeição não ocorreu durante a vida e ministério do Senhor. Todavia, considerando que “conhecidas são a Deus, desde o princípio do mundo, todas as suas obras” (At 15,18), Deus previu o inevitável. Sendo assim, o Espírito de Deus, que inspirou Mateus ao escrever o Evangelho, o levou a reunir os eventos que iriam ilustrar a mudança dispensacional no modo de Deus agir. Aquele que é instruído na verdade irá enxergar estas figuras dispensacionais em quase todos os capítulos.



Postagens populares