Tradução em andamento do livro “A Dispensational or a Covenantal Interpretation of Scripture - Which is the Truth?” por Bruce Anstey
Este livro encontra-se em processo de tradução, portanto para uma leitura mais ordenada sugiro que comece pela postagem mais antiga no Arquivo da coluna da direita.

JOAO 4

Quando o Senhor soube que havia sido rejeitado pelos líderes em Jerusalém, “deixou a Judeia, e foi outra vez para a Galileia” (vers. 1-3). Em figura essa saída da Judeia é outra ação simbólica do Senhor que denota o rompimento dele com a nação por o terem rejeitado. Sua intenção era a de continuar Seu ministério na região norte (Galileia) passando “por Samaria”, que ficava na região central da terra (vers. 4-6). A rota usual para os judeus que viajavam da Galileia era contornando Samaria, o que tornava a viagem mais longa, pois os samaritanos eram um povo gentio e considerado impuro pelos judeus. Por causa disso “os judeus não se comunicam com os samaritanos” (vers. 9). Desnecessário é dizer que tal atitude do Senhor, de passar por Samaria, não era algo normal. Isto está registrado nas Escrituras para mostrar (de forma dispensacional) que Ele iria visitar os gentios com o evangelho e introduzir na bênção muitos dentre as nações (At 15:14). Portanto a obra do Senhor em Samaria neste capítulo é uma figura do atual testemunho da graça de Deus entre os gentios.

O Senhor se fez conhecido à mulher de Samaria, e ela recebeu a Ele por fé como o “Messias” (vers. 7-26). A verdade que o Senhor revelou a ela é cristã em sua essência, a saber, o fim da adoração judaica em Jerusalém (Hb 13:13) e a introdução de uma nova ordem de adoração do “Pai em espírito e em verdade” (vers. 21-24).

Em seguida a mulher foi aos homens da cidade e testificou: “ Porventura não é este o Cristo?” (vers. 29). Isso despertou o interesse naqueles da cidade de Samaria e muitos creram no Senhor Jesus como “o Salvador do mundo” (vers. 42). Eles insistiram com o Senhor para que ficasse com eles, “e ficou ali dois dias” (vers. 42). Mais uma vez, à luz do Salmo 90:4-5 e 2 Pedro 3:8, isso aponta figuradamente para o intervalo atual de dois mil anos durante o qual os judeus têm sido colocados de lado nos desígnios de Deus.

“E dois dias depois partiu dali, e foi para a Galileia” (vers. 43), onde retomou o Seu ministério entre os judeus na extremidade norte da terra (vers. 43-44). Isto nos fala da retomada das tratativas do Senhor com os judeus em um dia ainda vindouro. Nessa ocasião “os galileus o receberam” (vers. 45). Isso nos fala de um remanescente da nação recebendo o Senhor no futuro. É significativo que o Espírito de Deus faça uma correlação dos eventos na parte final deste capítulo com o que o Senhor fez em “Caná da Galileia, onde da água fizera vinho” (vers. 46). Como já foi observado, o incidente de transformar água em vinho, que aconteceu no “terceiro dia” (Jo 2:1), é uma figura milenial. Oséias 62 nos diz que no “terceiro dia” (falando figuradamente) o Senhor iria “ressuscitar” a nação de Israel, isto é, realizaria sua ressurreição e restauração como nação (Is 26:19; Ez 37; Dn 12:2). A restauração do filho de um nobre que estava à morte ilustra essa bênção futura reservada para o remanescente de Israel (vers. 46-54).



Postagens populares