Tradução em andamento do livro “A Dispensational or a Covenantal Interpretation of Scripture - Which is the Truth?” por Bruce Anstey
Este livro encontra-se em processo de tradução, portanto para uma leitura mais ordenada sugiro que comece pela postagem mais antiga no Arquivo da coluna da direita.

O caráter singular do Evangelho da Graça de Deus

O caráter singular do Evangelho da Graça de Deus

A Paulo foi dado um ministério especial de “completar a palavra de Deus” (Cl 1:5 - JND), no que diz respeito à revelação dos procedimentos dispensacionais de Deus. A última peça da revelação é chamada de “mistério” (Cl 1:25-26). Efésios e Colossenses são as únicas epístolas que descortinam a verdade do “mistério”.
Em Efésios 1:8-10 aprendemos que o bom prazer de Deus foi tornar conhecido, no atual Dia de Graça, “o mistério de Sua vontade” para que os crentes no Senhor Jesus tivessem “toda sabedoria e prudência”, ou inteligência, com respeito às maneiras de Deus agir e nos comportássemos adequadamente em relação a isso. O mistério da vontade de Deus tem a ver com o Seu propósito de exibir a glória de Cristo perante o mundo “na dispensação da plenitude dos tempos” (o Milênio) por intermédio de uma companhia especial de crentes chamados pelo evangelho tendo em vista este propósito. Esta companhia especial de crentes é a Igreja, o corpo e noiva de Cristo. Estes crentes no Senhor Jesus têm o lugar de relacionamento de maior proximidade possível que uma criatura poderia ter em relação a Ele. Eles são identificados nesta passagem pela expressão “no Cristo” (Ef 1:10 - JND), o que se refere à união existente entre a Cabeça e os membros do corpo graças à habitação do Espírito Santo. Deste modo todas as coisas naquele dia vindouro da glória do reino serão encabeçadas administrativamente por Cristo e a Igreja.
O Mistério de “Cristo e a Igreja” (Ef 5:32) revela que a nova ação de Deus voltada para os gentios é algo inteiramente diferente de tudo o que ele já tinha feito antes em Seu modo de agir para com o homem. Colocado de forma simples, Deus está chamando, tanto dentre judeus quanto, particularmente, dentre gentios, crentes no Senhor Jesus para fazer deles uma união viva consigo como membros de Seu corpo pela habitação do Espírito. Esta nova companhia de crentes é uma criação celestial de Deus, com uma origem celestial, bênçãos celestiais, e um destino celestial. Deste modo a Igreja está destinada a reinar com Cristo no céu sobre todo o universo e sobre todas as coisas nos céus e na terra.
O Mistério não é algo misterioso e difícil de entender; é simplesmente um “segredo” que Deus manteve “oculto desde todos os séculos” (Cl 1:26), mas que agora foi revelado por meio do ministério do apóstolo Paulo (Rm 16:25; Ef 3:5-10; Cl 1:26-27). Ele não está se referindo à vinda do Messias ao mundo em Seu primeiro advento. O Seu nascimento, vida, ministério, rejeição, morte, ressurreição e até mesmo o Seu reino futuro sobre o mundo não são o segredo; estas coisas são todas elas ensinadas claramente no Antigo Testamento. Muitas passagens do Antigo Testamento falam do Messias judeu reinando sobre Israel em um reino futuro, e das nações gentias se regozijando com Israel. Todavia, “O Mistério” vai além e descortina o plano de Deus de ter todo o universo (céus e terra) sob Cristo em Seu reino milenial. E também revela que Ele teria uma companhia ao Seu lado (a Igreja — Seu corpo e esposa) para magnificar a exibição de Sua glória no reino (Jo 17:22-23; 2 Ts 1:10; Ap 21:9-22:5). Além disso, o Mistério revela que não é intenção de Deus ter os céus completamente separados da terra, como são agora. A Sua vontade é que a liderança da administração de todas as coisas nos céus e na terra seja de Cristo e da Igreja (“no Cristo”), de modo que possa existir um sistema unificado de glória celestial e terrena sob Cristo e Sua esposa (Ef 1:10).
Como já foi mencionado, a intenção de Deus é que os cristãos tenham ciência de qual seja o Seu propósito de exibir Cristo e a Igreja no Milênio. Para isso “ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência; descobrindo-nos o mistério da sua vontade” (Ef 1:8-9). Quando isto é chamado de “o mistério da sua vontade” refere-se ao propósito de Deus de colocar todas as coisas sob a direção de Cristo no futuro milênio. Quando é mencionado “o mistério do Cristo” (Ef 3:4; 5:32; Cl 4:3) refere-se à Igreja sendo associada com Ele naquele dia de exibição.

O Mistério, portanto, revela exatamente o que Deus tem feito durante o período em que Israel é deixado de lado. Ele está reunindo o material que irá compor esse vaso celestial de testemunho por meio do evangelho da Sua graça. Crentes vindos tanto de entre judeus como de gentios estão sendo salvos hoje e introduzidos na Igreja. Esta verdade é revelada em Efésios 2:1-22 e 3:3-10. Se estudarmos estas passagens atentamente veremos que o atual chamado que Deus faz dos gentios é de certa forma diferente daquele que foi feito conhecido pelos profetas do Antigo Testamento, no que diz respeito à intenção de Deus de abençoar os gentios no reino de Cristo. Isto é significativo e algo que o estudante das Escrituras deveria observar.



Postagens populares