Tradução em andamento do livro “A Dispensational or a Covenantal Interpretation of Scripture - Which is the Truth?” por Bruce Anstey
Este livro encontra-se em processo de tradução, portanto para uma leitura mais ordenada sugiro que comece pela postagem mais antiga no Arquivo da coluna da direita.

1. AS PROFECIAS DO ANTIGO TESTAMENTO INDICAM UMA SUSPENSÃO NAS TRATATIVAS DE DEUS PARA COM ISRAEL

1. AS PROFECIAS DO ANTIGO TESTAMENTO INDICAM UMA SUSPENSÃO NAS TRATATIVAS DE DEUS PARA COM ISRAEL

O primeiro “pilar” da verdade dispensacional é que as Escrituras proféticas do Antigo Testamento ensinam que haveria uma interrupção nas tratativas de Deus para com Israel como consequência da rejeição do Messias.
A atual suspensão das tratativas de Deus para com a nação não ocorreu durante a vida e ministério do Senhor Jesus, mas depois de os judeus terem rejeitado Seu testemunho (At 7:51) e também o testemunho do Espírito Santo (At 7:51). Depois de haver, não somente crucificado o Cristo, mas também resistido ao testemunho do Espírito de Deus (falando a eles por intermédio dos apóstolos), a nação foi colocada de lado nas tratativas administrativas de Deus. O golpe final de rejeição e incredulidade culminou no fato de os líderes responsáveis pela nação terem apedrejado Estêvão em Atos 7, enviando-o para o céu com a mensagem: “Não queremos que este Homem reine sobre nós” (Lucas 19:14). Ainda assim Deus os suportou com paciente misericórdia por quarenta anos até o ano 70 D.C., quando a nação foi destruída pelo exército romano. Após a rejeição final de Cristo por ocasião do apedrejamento de Estêvão, Deus passou a buscar pelos gentios com o evangelho de Sua graça. Portanto, houve uma progressão no julgamento da nação que terminou com ela eventualmente tendo sido colocada de lado:
·         Judicialmente na cruz (Sl 69:22-28).
·         Administrativamente no apedrejamento de Estêvão (At 7).
·         Literalmente pelo fato de o exército romano ter destruído a cidade e o santuário (Dn 9:26; Mt 22:7).
Estas profecias do Antigo Testamento não vão além de indicar o que ocorreria no modo de Deus agir durante o tempo em que Israel fosse colocado de lado como nação. A razão disto é que a verdade do atual chamado celestial da Igreja pelo evangelho (apresentada no “Mistério”) estava escondida dos santos do Antigo Testamento e era um “mistério que desde tempos eternos esteve oculto” (Rm 16:25; Ef 3:9; Cl 1:26-27). Trata-se da verdade do Mistério que “noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens” (Ef 3:5). Portanto os profetas do Antigo Testamento não poderiam ter falado das coisas reveladas no Mistério, pois ninguém nos tempos do Antigo Testamento as conhecia! Todavia, as passagens do Antigo Testamento que estamos prestes a examinar estabelecem o fato de que as tratativas de Deus com Israel (na verdade os judeus) seriam suspensas. Este é o primeiro “pilar” da verdade dispensacional.

As passagens a seguir indicam esta interrupção ou suspensão:


Postagens populares